12.ª Convenção RSO PT

A crise sanitária pôs à prova e questionou muitos dos nossos padrões relacionais e comportamentais, assim como as dinâmicas organizacionais e empresariais desenvolvidas e consolidadas ao longo de décadas. Pessoas e organizações foram confrontadas com a necessidade de (re)criar, num tempo curto, um “novo normal” para responder a uma emergência sanitária, sem precedentes nos últimos 100 anos, com implicações indeléveis na vida económica, social e cultural quotidianas. Sobretudo, alterou-se o tempo e modo como se aprende, trabalha, compete e coopera. O choque simultâneo na oferta e na procura fragilizou profundamente a economia e o crescimento. Em matéria de segurança sanitária e económica, os limites e as fragilidades das atuais cadeias de abastecimento globais, foram questionados. A Covid 19 funcionou também como um “acelerador de futuros” que, em muitos aspetos, já estavam em marcha, nomeadamente por força da aplicação das novas tecnologias digitais, embora de forma embrionária e com ritmos e intensidades diferenciados. Mas, também se percebeu que as abordagens à crise sanitária foram distintas à escala global, reforçando, menorizando ou atropelando valores sociais, que fazem parte, em graus diferenciados, do acervo das sociedades mais avançadas: a ética e a responsabilidade social, a solidariedade, a sustentabilidade, a cooperação, a igualdade, a liberdade, os direitos humanos, a inclusão e a cidadania, são alguns desses valores.

No pós-COVID 19, vai-se, seguramente, trilhar progressivamente uma trajetória para uma nova normalidade. Nesse sentido, colocam-se vários desafios e questões pertinentes, nomeadamente para a sociedade e economia portuguesas, entre elas: o trabalho remoto veio para ficar? Os novos modos de aprendizagem e a educação/formação a distância vão acelerar? Novos modelos de negócio experimentados no contexto da pandemia vão ganhar terreno? Poder-se-ão esperar mudanças significativas nas cadeias de abastecimento globais? Como é que as agendas da sustentabilidade e do digital vão moldar as cadeias de valor das empresas, o empreendedorismo, a inovação e a competitividade? E quais vão ser as prioridades da recuperação e do crescimento? Como criar valor nas organizações, cumprindo padrões exigentes de responsabilidade social? Como mobilizar a sociedade e as organizações em torno dos ODS-Objetivos de Desenvolvimento Sustentável? E como fazer face a desigualdades económicas e sociais, tão evidenciadas no contexto da pandemia?

Assista à gravação da Convenção em: https://drive.google.com/drive/u/0/folders/1SK5Y8tiXetakI7fBvj3gc1onCumOCxKp?ths=true